Os 5 erros mais comuns em ecommerce feminino

Net-a-porter layout

As mulheres já são maioria em sites de compra coletiva e sua participação no e-commerce avançou mais de 8% este ano, segundo dados do IBOPE Mídia. Também já sabemos que as mulheres não são tão impulsivas quanto imaginávamos. São detalhistas, fazem buscas em mais de um site, realizam comparação de produtos e estão atentas aos detalhes do processo de compra online. Diante deste cenário, será que os sites estão realmente preparados para enfrentar o universo competitivo dos e-commerces femininos? Quantos deles proporcionam uma excelente experiência de compra para este público?

É a partir desta dúvida, que surgiu este post. Fizemos uma breve análise e levantamos os 5 erros mais comuns em e-commerce feminino.

1) Busca e filtros de produtos ineficientes

Os filtros precisam ser coerentes com o tipo de produto vendido. Além disso devem ser de fácil interação e navegação. Por exemplo, se está vendendo roupas, é importante oferecer opção de filtrar por marca, modelo, tamanho e talvez até cores. É preciso compreender quais critérios as mulheres usam para buscar e comprar um produto. E este critério varia de produto para produto. Esqueça os padrões. Procure entender o que a mulher está buscando para cada produto.

O Outlet online possui filtros por categoria, gênero e marca, mas a navegação é difícil.Já precisou mudar os filtros ou voltar a uma configuração anterior? Não adianta oferecer os filtros corretos se eles não tem boa usabilidade.

filtros do Bazar Dasli

O Bazar Dasli oferece os filtros, mas poderia oferecer outros filtros também importantes como cores das peças, tamanhos… Por que não oferecer opção de selecionar mais de uma marca?

2) Dificuldade em visualizar bem detalhes do produto

Parece óbvio mas é muito importante que a pessoa possa visualizar bem o produto. A mulher, especialmente gosta de observar detalhes, texturas, material, medidas e o conjunto. Em alguns sites é comum ter uma opção de dar um “zoom” no produto, mas nesta visão, muitas vezes, perdemos a visão “do todo” do produto.

Também é importante ter medidas de sapatos e roupas. Uma boa solução para ajudar a criar ideia de dimensão e proporção é colocar fotos do produto com uma modelo.

No e-commerce Net-a-porter é possível visualizar tabela com medidas do produto e também visualizar a foto do produto ampliada, sem perder a visão do conjunto.

3) Ignorar as compras conjugadas

A mulher, principalmente, gosta de saber “o que combina com o quê”. Se for um sapato, mostre exemplo de outras peças de roupas que podem ser combinadas, se for uma bolsa, mostre sapatos e acessórios relacionados. A ideia é simples, se eu já comprei um vestido, provavelmente não estou interessada em mais vestidos e poderia estar interessada em um sapato para combinar com ele, por exemplo.

O Net-a-porter sugere peças que combinem com o produto visualizado.

4) Não inovar, apenas copiar outros modelos.

Muitos sites perdem a oportunidade de venda por não oferecerem mais, não irem além da cópia dos sites concorrentes. Por que não oferecer uma “consultoria” de estilo? O site “OQVestir” nasceu assim. Com dicas e looks montados, inspirava as mulheres e o site antes focado em conteúdo cresceu e hoje vende as peças que indica nos looks. Nós gostamos de indicações, dicas, saber que estamos comprando um produto “indicado” reforça a segurança da compra. Aproveite a onda dos “lookbooks” e ofereça mais do que fotos do produto.

5) Subestimar o cuidado com a estética

Deixei este item por último pela sua importância, no universo feminino deixar a estética de lado ou subestimá-la é praticamente um pecado =). Um layout agradável e preocupação com usabilidade são essenciais para o sucesso do negócio voltado para este público. Fotos grandes, fotografia impecável, layout limpo, fonte legível e cores agradáveis são o mínimo. Estética é aspecto emocional, subjetivo. Um bom design é capaz de criar engajamento, satisfação e claro gerar lucros e sucesso sustentáveis.

Net-a-porter layout

Net-a-porter tem visual clean e preocupação com imagens, tipografia e produção das fotos.

Estes foram alguns pontos levantados por nós, sabemos que existem muitos outros tão importantes quanto estes. E você concorda com estes problemas? Tem alguma outra sugestão?

Para saber mais sobre otimização de e-commerce para público feminino, entre em contato.

RECEBA NOSSO MATERIAL GRATUITO POR EMAIL

* campos obrigatórios
“despertar"
About The Author

Karine Drumond

Karine Drumond é co-fundadora da Negócio de Mulher. Atua ajudando outras empreendedoras a transformarem ideias criativas e habilidades em negócios diferenciados. Também acredita no empreendedorismo como ferramenta de transformação. Trabalha com Design e Negócios Digitais desde 2006 e compartilha seu conhecimento e ideias neste site.

  • Muito bom os pontos abordados. Um erro que eu sempre vejo em e-commerces desse tipo é quando dão a opção de navegar por “marcas”, muitos esquecem a opção das subcategorias dessas marcas como sapatos, camisas, blusas, e tratam apenas como um todo, mistrurando sapato com blusa com bolsa e você ficando sem a opção de ordenar esses produtos.
    Mas ainda é falho o ponto das descrições dos produtos, escrevem “blusa preta de malha” e esquecem que os detalhes devem ser bem descritivos, e até mesmo se deve lavar na maquina ou não conta pra muitas pessoas na hora da compra, além de descrições únicas para cada produtos ajudarem no rankeamento do site.
    Abs.

  • Pingback: Nova ferramenta do Google melhora experiência de compra | Negócio de Mulher()

  • Pingback: Nova ferramenta do Google melhora experiência de compra ‹Negócio de Mulher()