Entrevista com Juliana Garcia, Master Coach

Como sair do ponto atual e transformar sua vida para melhor?

Juliana Garcia é Master coach, especialista em gestão do tempo para mulheres, desenvolvimento pessoal e profissional feminino e escreve no site julianagarcia.com.br. Juliana é também a instrutora da nossa próxima Oficina de Gestão do Tempo – turma só para mulheres. (Falar nisso, já fez inscrição?). Na entrevista de hoje, a Juliana explica o que é o trabalho de coaching e algumas dicas para conseguirmos, enfim, aproveitar melhor nosso tempo. Vai lendo ;)

Conte um pouco de sua trajetória profissional e como decidiu trabalhar com mulheres.

Meu caminho profissional iniciou na graduação em Psicologia, que cursei na UFMG. Comecei a fazer estágios bem cedo e tive oportunidades de aprendizados incríveis, dentre eles a entrada num projeto que atendia a famílias em situação de risco social, onde coordenávamos oficinas grupais. Basicamente quem frequentava os grupos eram as mulheres. Nesse contexto, fui me interessando cada vez mais pelo tema do
Feminino e participando do crescimento e do ganho de autonomia daquelas mulheres!
Dali, foi um pulo para começar a ler mais sobre o mundo feminino, caiu em minhas mãos um livro maravilhoso, o “Mulheres que correm com os lobos” (hoje coordeno um grupo de estudos sobre ele). Comecei também a escrever sobre o universo feminino e mais mulheres sentindo conexão com aquilo que liam, vinham me procurar.

Alguns anos depois de me dedicar mais ao trabalho clínico, resolvi ir em
busca de alguma ferramenta que apoiasse a pessoa a sair da reclamação e ir para a
ação, verdadeiramente a transformar a vida – e não só falar sobre ela. Então, busquei
o Coaching. Hoje já estou na minha terceira formação de Coaching, pois quanto mais
conheço, mais me encanto com a possibilidade transformadora que esse estilo de vida
proporciona!

O que é o trabalho de coaching? Como é o processo?

O Coaching, na sua tradução literal do inglês para o português, quer dizer
treinamento. Mas Coaching vem de uma palavra mais remota que quer dizer “coche”,
aquele carro antigo que era guiado por cavalos, sabe? A ideia do Coaching, então, é de
promover um direcionamento, de sair de um ponto atual e chegar a um ponto desejado
– assim como um carro faz. O Coaching nasceu muito ligado ao ambiente empresarial,
mas hoje existem inúmeras abordagens para alcançar resultados em outros âmbitos da
vida.

Trata-se de um processo focal, em que você define um objetivo que quer
trabalhar e recebe apoio de um profissional para você identificar quais são suas
fortalezas, quais habilidades precisa conquistar e desenvolver as novas atitudes
necessárias para você atingir seus objetivos.

Em geral, o processo tem de 8 a 14 sessões, semanais a quinzenais, e nesses
encontros você recebe atenção total para que descubra seu caminho para chegar lá.
É um processo muito enriquecedor, porque ensina a gente a se focar no positivo e na
solução, naquilo que já temos de recurso e de possibilidades! Tira o foco costumeiro
que damos aos problemas e às dificuldades. Aliás, nem falamos em dificuldades:
preferimos encará-las como desafios! E desafio a gente enfrenta!

Na sua visão quais são os desafios mais recorrentes das mulheres que
chegam até você?

As mulheres tiveram muitas conquistas, no trabalho, no direito de decidir, em
transitar no mundo público. Porém, ainda continuam vivendo os mesmos papéis no
mundo privado, ou seja, só se acrescentou mais papéis: além de profissional, estudante,
empreendedora, ela precisa se desdobrar nos papéis de mãe, esposa, dona de casa, esteio
da família… Por isso, a mulher enfrenta dois desafios que andam atrelados: gerenciar
seu tempo e os seus diversos papéis.

Outro grande desafio é a autoestima, no seu sentido mais profundo. Na verdade,
autoestima tem a ver com o valor que conferimos a nós mesmas. Nesse afã de sermos tudo
para todos, de precisar dar conta de um universo de funções, acabamos caindo em duas armadilhas:

– Não daremos conta de ser tudo, então quando nos deparamos com o limite,
ao invés de encararmos a realidade dessa corrida maluca, acabamos nos frustrando e
diminuindo o nosso senso de valor próprio.

– Diante de tantas tarefas e demandas, não reservamos tempo nem espaço para
nos cuidarmos. Daí o ciclo se realimenta e ficamos com a autoestima cada vez mais em
baixa.

O que você diria as mulheres que desejam aprender a gerir melhor o tempo?

Acho que o ponto inicial é: reserve tempo para você em sua agenda! Inicie com
o que for possível, mas inicie! Comece com 15 minutos todos os dias, nesse tempo faça
algo para gerar mais prazer e bem-estar: uma massagem, uma pausa de silêncio, ler sua
revista preferida, enfim.

Com o tempo você vai percebendo que é possível (além de muito prazeroso e
recompensador!) e você vai sentir vontade de organizar melhor a vida, para caber mais
e mais momentos de recarregar as baterias! Isso vai te apoiar a ter mais autoestima,
equilibrar melhor seus papéis cotidianos e ter mais tempo para tudo que realmente
importa!

RECEBA NOSSO MATERIAL GRATUITO POR EMAIL

* campos obrigatórios
“despertar"
About The Author

Negócio de Mulher

Negócio de Mulher nasceu de um sonho: inspirar e ajudar outras mulheres empreendedoras. Quem escreve por aqui são as sócias: Karine Drumond e Priscila Valentino com colaboração de outras mulheres que compartilham dos mesmos propósitos.