Viver fazendo o que ama também tem lado B

viver fazendo o que ama

por Karine Drumond

Viver fazendo o que ama é um ideal de muitos e realidade de outros tantos. É também um tema recorrente por aqui, já escrevemos um eBook gratuito sobre isto e também criamos um curso online pensada neste desafio. Parece um caminho de flores, promessa de uma vida feliz…e de fato por ser! Mas nem tudo são rosas, hoje queremos falar dos espinhos. O que significa de fato este sonho? Existem muitas formas de encontrar significado na sua atividade profissional, nem sempre é abrindo o próprio negócio. Você pode reajustar as suas escolhas profissionais, para alinhar melhor aos seus valores, por exemplo, ou você pode mudar completamente de área de atuação, pode também aprender a identificar suas competências e talentos e explorá-los melhor em seu trabalho atual… Ou pode ainda querer transformar um hobby (arte, culinária, viagem, etc) em negócio, ganhando a vida daquilo que antes era apenas um passatempo. Em qual destes casos, você se encaixa?

Se você é a da galera da última opção, este artigo pode ter alguns insights importantes para você refletir antes de tomar decisões.

Paixão nem sempre vira cifrão

Muitas pessoas pretendem seguir um negócio próprio baseado em um hobby ou atividade em que são apaixonadas. Mas nem toda paixão leva a uma lucratividade, concorda?. Nem tudo o que você adora fazer ou que faz bem é interessante para o resto do mundo e nem tudo tem valor de mercado. Antes de dar os passos decisivos, certifique-se de que sua paixão ou habilidade se encontra com a utilidade, ou seja, se seu negócio interessa aos outros. Aí sim, havendo convergência, um micronegócio fundamentado em liberdade, paixão e utilidade (valor) pode prosperar!

Teste de Realidade

Será que você está pronto para viver do seu hobby? 6 perguntinhas para você (do livro Startup de $100):

  1. Você está preparado para em vez de só no seu tempo livre, passar a dedicar ao seu hobby ao menos 20 horas por semana? Experimente fazer um teste por um período de tempo e veja se rola um desgaste. A obrigação pode tirar o tesão da atividade.
  2. Você gosta de ensinar outras pessoas a praticar o mesmo hobby?
  3. Você gosta de todos os detalhes do seu hobby?
  4. Se você fosse forçado a se ocupar de um volume considerável de trabalho administrativo relacionado ao seu hobby, você continuaria gostando dele?
  5. Um número suficiente de pessoas estaria disposta a pagar pelo seu conhecimento nesta área?
  6. Há outros negócios servindo este mercado? (isso é bom sinal), mas não da mesma forma como você faria? Ou o que você faria de diferente?

Um negócio real resulta da paixão e de bons conhecimentos para o negócio. Apesar se ser importante, a paixão é só uma parte da equação. As outras são:

(PAIXAO + HABILIDADE)  —> (PROBLEMA + MERCADO) = OPORTUNIDADE

Concluindo, nem tudo é romantismo nesta busca pelos negócios baseado em paixão, mas quando você encontra a fórmula certa, não há como negar o sucesso. E em comparação com trabalhar apenas para sobreviver, é mito mais fácil (prazeroso!) fazer o que você adora e ser pago por isso, não é mesmo? Basta encontrar a paixão certa, o público certo e o modelo de negócios mais adequado ;)

Quer aprender mais?

Conheça nosso curso online Empreenda Sua Paixão – o curso online para mulheres de mentes inquietas. No curso temos dois módulos dedicados ao autoconhecimento e teremos oportunidade de te ajudar a resgatar e se reconectar com seus valores, com seus pontos fortes, paixões e sonhos mais verdadeiros. E a partir daí criar um plano de ação para colocar tudo isso em prática.

Até mais.
Karine Drumond

About The Author

Karine Drumond

Karine Drumond é co-fundadora da Negócio de Mulher. Atua ajudando outras empreendedoras a transformarem ideias criativas e habilidades em negócios diferenciados. Também acredita no empreendedorismo como ferramenta de transformação. Trabalha com Design e Negócios Digitais desde 2006 e compartilha seu conhecimento e ideias neste site.