10 Formas de Avaliar uma Ideia

como avaliar uma ideia

 

“Será que estou trabalhando na ideia certa? Será que é viável? Minha ideia é promissora? Vale a pena entrar neste mercado?”

Se todas estas perguntas estão passando na sua cabeça, a melhor forma de resolver isto é fazendo pesquisas, antes de você cair de cabeça. Mas a pergunta é “Por onde começar?”, afinal de contas uma pesquisa sem objetivos claros pode nos levar a um mar de novas perguntas e acabarmos no final das contas mais perdidas do que quando começamos. Por isso, fomos atrás de referências para te ajudar nesta tarefa. E descobrimos no livro The Personal MBA, uma listinha bem útil, de 10 coisas que você precisa analisar antes de mergulhar em um mercado. Bora colocar o nosso lado analítico do cérebro para trabalhar? ;)

Como usar?

Analise cada fator abaixo. Dê uma nota de 0 a 10 para cada um (onde zero seja algo extremamente não atrativo e 10 algo extremamente atrativo). Quando em dúvida, seja conservadora.

1. Urgência. O quão intensamente as pessoas querem ou precisam da sua oferta neste momento? (ex.: alugar um filme antigo é pouco urgente, assistir um lançamento de um novo filme na noite de abertura é altamente urgente, já que acontece uma única vez). Você consegue pensar em maneiras de provocar um “senso de urgência”? Ex.: promoções de lançamento, coleçoes únicas com período determinado.

2. Tamanho do mercado. Quantas pessoas estão realmente comprando coisas como as suas? Procure conversar com pessoas que já estão atuando na sua área para descobrir.

3. Potencial de preço. Qual é o valor mais alto que as pessoas estão dispostas a pagar pela sua solução? (quanto maior este potencial, melhores são suas chances de lucratividade).

4. Custos de aquisição de novos clientes. Quão fácil é para você adquirir novos clientes? Em média, quanto irá te custar (em anúncios ou publicidade por exemplo), para gerar uma venda (tanto em dinheiro quanto em energia?).

5. Custos de operação. Quanto irá custar produzir e entregar a sua oferta (tanto em dinheiro quanto em esforço)? (Ex.: Entregar arquivos na internet é praticamente gratuito, enquanto produzir um produto e construir uma fábrica custa muito mais).

6. Diferenciação da sua oferta. Quão única é sua oferta versus a do concorrente? E quão fácil é para o concorrente copiar sua oferta?

7. Velocidade de colocar no mercado. Quão rápido você é capaz de colocar sua oferta a venda ou seu negócio no mercado? (Você pode oferecer um serviço de consultoria em poucos dias, enquanto abrir uma loja, por exemplo, pode levar bem mais tempo). O quanto antes você conseguir colocar sua ideia nas mãos do consumidor, mais rápido você consegue entender as regras do jogo e mais rápido será o feedback, reduzindo assim seus riscos.

8. Investimento inicial. Quanto você terá de investir  antes de estar pronta para vender? Neste momento é útil pensar em priorização. Levante o que seria o mínimo necessário para você começar.

9. Potencial de vendas adicionais. Há algum produto ou serviço complementar que você possa oferecer para seu cliente? (ex.: quam compra fraudas pode também estar precisando de lenços e outros produtos para o bebê).

10. Potencial de escala. Uma vez que seu produto/serviço tenha sido criado, quanto de trabalho adicional é necessário para que você continue vendento? (Neste ponto, os serviços em geral possuem baixo potencial de escala. ex.: Consultoria de negócios requer um trabalho contínuo para ser pago, enquanto que um livro, por exemplo, é produzido uma única vez e vendido várias e várias vezes).

Assim que você fizer sua análise, some os seus pontos. Se seus pontos estão abaixo de 50, segundo o autor do livro, é melhor migrar para outra ideia. Se os pontos são maiores que 75, você tem uma ideia promissora. O que tiver entre 50 e 75 tem um potencial de pagar as contas, mas pode haver o risco aí do retorno não ser como o desejado ou exigir um investimento alto de dinheiro ou energia.

Uma outra forma de usar este método, é para identificar as áreas que você precisa pesquisar um pouco mais ou melhorar a sua oferta/ideia. Por exemplo se você deu uma nota baixa para o ítem “diferenciação”, quem sabe não é o momento de pesquisar ou trabalhar neste ponto, buscando seu destaque no mercado? Ou se a sua ideia está exigindo um alto investimento, será que é possível você pensar em formas mais enxutas de começar seu empreendimento?

Espero que o artigo tenha trazido bons insights para você, use a pesquisa a seu favor e sucessos!

_

Por falar em empreender, você já está sabendo da nossa 4ª Oficina Feminina “Quero Transformar Minha Paixão em Negócio, e agora”?, Acontece dia 14 de Dezembro, no Rio de Janeiro. Então se você tiver pela região nesta época, vem aprender a tirar suas ideias do papel e conhecer outras empreendedoras como você. Saiba mais.

Bjos e até a próxima dica.

“despertar"


“coaching

Cadastre e receba gratuitamente nosso eBook "Quero Transformar Paixão em Negócio" e dicas para criar um negócio e vida que você ame:

About The Author

Karine Drumond

Karine Drumond é co-fundadora da Negócio de Mulher. Atua ajudando outras empreendedoras a transformarem ideias criativas e habilidades em negócios diferenciados. Também acredita no empreendedorismo como ferramenta de transformação. Trabalha com Design e Negócios Digitais desde 2006 e compartilha seu conhecimento e ideias neste site.