História empreendedora: Luciana André

O artigo de hoje é uma colaboração da Luciana André que nos enviou um depoimento lindo de morrer e contou sua história de determinação.
Luciana
Olá Meninas Super Poderosas,

Tomo a liberdade de chamá-las assim, pois foi depois de descobri-las que a minha vida tomou outro sentido e claro, um novo rumo.

Primeiro descobri a Juliana Garcia pelo Personare, se não me engano, e através da Ju, descobri a Paula Abreu, as meninas do Negócio de Mulher e por fim, a Gi Baccarin.

Bom, há muito tempo que eu tenho o desejo de ter meu próprio negócio e há muito tempo atrás em que eu era assinante da revista Claudia li um artigo de uma secretária que havia sido demitida porque a empresa onde trabalhava havia se fundido com outra e isso acabou gerando a demissão de várias pessoas e inclusive a dela.

Achei super interessante pois na época ela abriu seu próprio negócio prestando esse mesmo serviço de secretariado (administração) para outras empresas de menor porte.

Essa ideia ficou muito tempo na minha cabeça, pois por muitas vezes trabalhei como secretária, até que em 2010 compartilhei desse sonho com uma amiga que é contadora e ela me incentivou, confirmando que essa era de fato uma ótima ideia, pois muitos de seus clientes de pequeno e médio porte precisavam de uma assessoria como essa, mas até então, ela não havia encontrado ninguém que prestasse esse tipo de serviço. E isso prejudicava em muito o seu trabalho de contadora, pois muitas vezes ela tinha que fazer o papel de contadora e administradora, mesmo sem ter essa qualificação e disponibilidade.

O que aconteceu após essa conversa é que ela me indicou para alguns clientes e consegui prospectar outros.

No entanto, essa ideia não era muito bem estruturada em minha mente e eu não me sentia segura de seguir esse novo projeto, visto a “instabilidade do vínculo” com esses clientes, pois uma cliente que esse ano (2014) retomou a assessoria, em 2012 teve que interromper a mesma por dificuldades financeiras. E isso me trouxe muita frustração e decepção, pois na época eu estava bem animada e disposta a investir nessa área com força total.

O que aconteceu é que mesmo insatisfeita e com esse sonho em mente eu continuei a trabalhar em empresas privadas, nas áreas administrativa e comercial e sempre que me aparecia algum cliente eu tentava atender a noite ou finais de semana.

Hoje tenho 40 anos e já trabalhei em muitas empresas. No entanto, eu não compreendia porque que eu não conseguia ficar tanto tempo numa empresa. Vale salientar que a empresa em que mais tempo permaneci (1998 a 2007 – 09 anos) foi numa distribuidora de alimentos e é de lá que trago boa parte da experiência com pessoas, equipes e gestão comercial. Saí de lá em 2007, pois queria realizar o sonho de trabalhar na minha área de formação que é Sociologia. No terceiro setor, trabalhei por 03 anos (2007 a 2010), mas devido a instabilidade dos projetos sociais, fui meio que “obrigada” a voltar para o setor privado.

Mas só que essa conversa com a minha amiga contadora havia mexido muito comigo e de 2010 pra cá eu infelizmente trabalhei em várias empresas sem aquela paixão, sem me sentir parte, sem sentido e significado. Eu já não era a mesma e o desejo de autonomia, independência e liberdade crescia e ficava mais forte.

E aí foi que através da Juliana Garcia eu descobri o coach. Acompanho a Ju no face, recebo os informativos pelo email e através dela e de todas vocês, tomei a iniciativa de fazer o curso no Sebrae RN, de Líder Coach, ministrado por Tereza Jeanne que é formada pela Sociedade Brasileira de Coaching.

Me apaixonei pela área e me identifiquei, pois descobri que mesmo involuntariamente eu já havia “ajudado” a tantas pessoas a se encontrarem, a tomarem um rumo e um sentido melhor em suas vidas. Já dizia uma prima que eu conseguia ajudar e “enriquecer” as pessoas, mas não conseguia ajudar a mim mesma.

Por enquanto, ainda não será possível fazer a formação em coaching, mas como nesse mês de junho estou de férias, estabeleci como meta principal abrir minha empresa, criar minha logomarca e fazer a divulgação.

No momento, o endereço da minha empresa será na minha casa, fiz meus cartões de visitas e folders e entre essa e a próxima semana farei a divulgação em empresas de pequeno e médio porte, com o objetivo de fechar novos clientes. Não sei se terei sucesso logo de cara, mas de uma coisa tenho certeza: eu sei o porque, o como e o que.

Gostaria de compartilhar com vocês essa vitória em minha vida e apesar daquele frio na barriga e o medo, estou firme nesse projeto e mais madura para enfrentar as dificuldades.

Muito obrigadaaaaaaaaaa e sucesso para todas vocês!

Luciana André

RECEBA NOSSO MATERIAL GRATUITO POR EMAIL

* campos obrigatórios
“despertar"
About The Author

Negócio de Mulher

Negócio de Mulher nasceu de um sonho: inspirar e ajudar outras mulheres empreendedoras. Quem escreve por aqui são as sócias: Karine Drumond e Priscila Valentino com colaboração de outras mulheres que compartilham dos mesmos propósitos.