A paixão das mulheres pelo trabalho criativo não seria também um chamado por libertação?

por Karine Drumond

6932815749_0ac2d3046d_b

Percepção aguçada, brincalhona, devota, gregária, curiosa, alta resistência e força, intuitiva, adaptável e corajosa. Natureza feminina.

A natureza feminina brota do desejo de sonhar, de se dedicar a vida criativa, aos verdadeiros amores. Quando a descobrimos, nós paramos o mundo. Deixamos de ser alvo-predatório dos outros. Esta mulher dá sustentação a sua vida interior e exterior. A integridade é fruto do instinto, da sabedoria, da auto consciência da força que representam e de quando se lembram de quem elas são.

A mulher quando se torna quem ela deseja ser, ela é amiga e mãe de todas as outras, é a voz que diz “por aqui”.

A mulher quando age com verdade recupera sua força criativa. A intuição é bússola da visão interior.

Correr riscos é um processo que aguça um processo de recuperação dos poderes intuitivos das mulheres.

É típico das mulheres não deixarem morrer a vida segura, confortável. Ela só precisa mergulhar e saber o que vem depois. Saber lidar com a ansiedade. Aprender a ser quem se é realmente.

Os talentos das mulheres são muitas vezes empurrados para as trevas.

Ser nos mesmas

Empreender é como entrar na floresta selvagem. Aprendendo a guiar-se por meio dos sentidos. Repito: correr riscos é um processo que aguça um processo de recuperação dos sentidos criativos das mulheres – que podem estar adormecidos.

Conhecemos histórias de inúmeras mulheres que estão também em busca de trabalhos, negócios e carreiras com mais sentidos e é comum nestas histórias encontrarmos mulheres se dedicando mais a artesanato, às artes em geral ou trabalhos manuais, muitas vezes como hobby, outras como atividade econômica secundária.

A criatividade alimenta a alma feminina. A criatividade é essencial para a criação de uma vida mais interessante.

É também verdade que estimular a criatividade não é lá um processo tão simples. Primeiro porque a criatividade está rodeada de mitos e ideias errôneas a respeito do processo criativo. Esses mitos nos bloqueiam e nos impedem de desenvolver nosso real potencial criativo.

O principal erro é acreditar que criatividade é para poucos gênios e artistas. Criatividade está presente em diversas áreas do conhecimento humano como história, psicologia, sociologia e várias outras. Precisamos relembrar que a capacidade de criar e resolver problemas existe dentro de todos e podemos usá-la em qualquer área da vida.   Não seria essa paixão das mulheres pelo artesanato e o desejo de se dedicar às artes ou trabalhos manuais, também um chamado da sua própria natureza? Um grito de socorro de sua alma, aflita também por resgatar sua força criativa? 

Texto escrito a partir de reflexões provocadas no livro Mulheres que correm com lobos de Clarissa Pinkola Estés.

RECEBA NOSSO MATERIAL GRATUITO POR EMAIL

* campos obrigatórios
“despertar"
About The Author

Karine Drumond

Karine Drumond é co-fundadora da Negócio de Mulher. Atua ajudando outras empreendedoras a transformarem ideias criativas e habilidades em negócios diferenciados. Também acredita no empreendedorismo como ferramenta de transformação. Trabalha com Design e Negócios Digitais desde 2006 e compartilha seu conhecimento e ideias neste site.